27 de jan de 2016

Super Humanos: Pré-Guerra | Capítulo 1-4 | #2


E SE EU FOSSE DONO DE UMA EDITORA  #18

                   SUPER HUMANOS
                        PRÉ-GUERRA
  
      Uma série original da Caverna

Sinopse: Após uma falha em uma missão, Chris e sua turma abandonam a corporação e passam a viver como querem, mas após fazer isso, coisas estranhas começam a acontecer com Chris e todos que conhece.

CLIQUE EM LEIA MAIS PARA COMEÇAR A LER A ESTÓRIA.



Episódio 2 - O Confronto

O helicóptero voava a todo vapor pelo norte do Paraná naquela noite sombria.. Chris sentia algo dentro de si, como se você alguém falando com ele
''Continue, você é assim, vá e mate a todos... MATE TODOS!''
Chris acordou assustado, ele olhou para o seu redor e viu que ainda estava no  helicóptero com Victória
- Você ta bem? - ela perguntou
- Sim, só tive um pesadelo
- Ah? Pesadelo? Mas você não estava dormindo!
- Não?
- Não, você deve ter sonhado acordado, eu acho
- Pode ser...
Ele levantou e esticou o corpo, caminhou lentamente até o vidro olhando a floresta abaixo. Algo estava errado naquela hora, mas não sabia o que era.
- Vai demorar?
- Não muito, daqui a pouco estaremos em casa!
- Não sei... estou com mal pressentimento
- Relaxa, senta ai que daqui a pouco estaremos na base
Christian novamente se deitou e botou o braço no rosto para não ficar olhando para a luz forte do helicóptero. Sua mente começou a viajar para longe, ela agora estava em um lugar distante onde o silêncio dominava.
- Onde estou?
Ele olhou em volta dele mesmo e a única coisa que ele via era apenas fumaças saindo do chão escuro. Sonho? Não, aquilo era um pesadelo para ele, e nesse momento a única coisa que ele desejava era sair dali o mais rápido possível, isso se for...
Um homem de preto com aparência semelhante a Chris apareceu em sua frente.
- Não precisa ter medo...Chris
- Quem é você?
- Eu sou você...
- Não, eu não sou assim
- É sim, basta olhar com clareza que perceberá! 
- Como eu vim parar aqui?
- Você não está aqui, sua mente está!
- E por que?
- Por que eu quis
- Me tire daqui agora
- Claro, mas só se fizer um acordo comigo
- Eu não faço acordos!
- Então passará a eternidade na própria mente
- Você ousa??
- Faça o acordo, eu te recomendo a fazer isso
- E por que?
- Por que sua amiga está em apuros
- Você não vai...
Chris deu um impulso e tentou desferir um soco contra o clone dele que sumiu e reapareceu do outro lado
- Não machuque a si mesmo
- O QUE VOCÊ QUER DE MIM?
O seu clone se aproximou e botou a mão no ombro de Chris.
- Termine o que você começou, você sabe o poder que tem dentro de você, com ele você poderá dominar o mundo mas somente com minha ajuda. Elimine a todos e assim adquira poder necessário para dominar tudo, caso contrário uma coisa bem pior pode cair sobre você e a todos.
- Por que? Por que tenho que matar a todos
- Por que? Por que todos te zoaram na escola? Por que todos querem te matar? Por que a humanidade é inútil?  Evolu-a Chris, se torne superior a todos e assim todos os mundos saberão quem é o ser mais poderoso de todo o universo!!
Chris olhou com raiva e agarrou  o clone pelo pescoço
- Não! Você me obrigou a deixar o meu colega lá, você não é meu amigo!
- Isso, continue, alimente sua raiva - o clone ria diante de Chris
Chris largou o clone e o mandou para 1 metro dali
- Não farei o que quer
- Fará sim! Você quer, só não sabe disso e quando você finalmente estiver pronto, eu voltarei!
Chris viu seu eu sumindo na fumaça. Sua mente viajou novamente para onde deveria estar.
- Chriis, me ajude
Ele acordou desesperado e viu que o helicóptero estava sendo atacado pelos jatos, aparentemente aqueles homens no barracão os seguiram, Chris se levantou e correu para  a cabine.
- Por que não respondia? - ela perguntou
- Desculpe
- Não é hora para desculpas, nos ajude
- O.K
Chris fechou a cabine e olhou para baixo pensando naquilo, ele sabia que era real mas não queria acreditar que fosse. O helicóptero continuava sendo alvo dos jatos que bombardeavam tudo pela frente. Chris ouviu os gritos de Victória e se focou. Seria muito arriscado lutar contra os jatos dentro do helicóptero, vendo isso, ele abriu a porta e saltou e voou até o vidro da cabine
- Eu cuidarei deles, fuja!
- Mas e depois?
- Eu a encontrarei, confie em mim - Disse Chris tocando no vidro
Ele sentiu ela através do vidro. Seu poder aumentava cada vez mais.
Ele viu o helicóptero desaparecendo no horizonte, agora era a hora da batalha, ele se virou para onde os jatos vinham, acostumado com filmes de ação, uma musica de tensão se passava pela cabeça, ele então se animou, estalou os dedos e se preparou. Um dos jatos vinha em uma velocidade quase que super sônica.  Ele estendeu suas mãos em direção ao jato para tentar parar a aeronave no ar mas não deu certo e o jato passou raspando pelo sua cabeça. Da sua direita, ele ouviu barulhos de mais jatos vindo, , ele novamente tentou parar o jato mas novamente não ocorreu nada e por pouco ele não foi atingido.
Ele se preparou novamente e ouviu a voz do homem de preto
- Aceite seu poder de verdade
- Eu estou tentando
Mais jatos vinham, Chris se preparou mas seu poder não surtia efeito, seu clone negro apareceu ao seu lado e estendeu a mão
- Chegou a hora, me aceite ou acabará morrendo e nós dois não queremos isso
Chris vendo que não teria opções e os jatos se aproximando, tocou sua mão na mão sombria do clone e os dois se transformaram em apenas um. Os jatos continuaram vindo e em uma fração de segundos Chris jogou um jato  contra o outro causando uma explosão no ar, os dois jatos incendiados caíram como fogo e incendiou a floresta. Ainda não estava terminado. Mais um jato vinha, esse jato era especial com textura vermelha e preta, mas além dele, havia alguém em cima com uniforme cinza e preto com uma espécie de máscara dividindo as cores em listras.
Chris voou para cima com um impulso e agarrou o  homem para fora do teto do jato fazendo os dois cairem na floresta.
- Mais um que quer me matar?! - ele perguntou
O homem não respondia, Chris olhou em volta sem saber o que fazer
- Fale!!
O homem mexeu a cabeça lentamente da direita para esquerda e deu um forte grito super sônico contra Chris que voou contra uma arvore. Christian levantou assustado, sua cabeça doía, ele esfregou elas em sua cabeça para aliviar a dor,
Chris olhou para a arvore que bateu e arrancou ela para lançar contra o homem mascarado, ele lançou contra o homem mas o inimigo novamente gritou mandando a arvore contra Chris que esquivou para o lado, mas ele sabia que não poderia se aproximar do homem pelo fato do poder dele ter mais efeito, mas isso não seria problema para sua telecinesia. Usando isso ao seu favor, Chris arrancou 5 arvores e lançou todas de uma única vez e assim finalizar o oponente. E  foi o que aconteceu, as arvores derrubaram o homem que ficou preso entre elas Chris correu até onde havia lançado as arvores mas o homem não estava mais lá.
''Você falhou agora, mas em breve terá outra oportunidade''. Chris sentiu Victória e voou até onde ela havia ido.
Ele caminhou pela floresta evitando voar para não ser localizado, de lá viu luzes fortes e também que ali era uma pequena cidadezinha, curiosamente perto dali Susan estava  hospitalizada. A cidade ficava na divisa com o estado de São Paulo, próximo a base de Santos. Mas ele não poderia arriscar e visitar-la, pelo menos não naquela hora. Ele continuou sentindo o poder sônico de Victória até encontra-la num restaurante.
- Demorou?!
- Sim, aconteceu alguns imprevistos
- Imaginei...  eu acho que aqui não nos encontrarão
- É bom ficarmos previnidos, vamos evitar chamar atenção e principalmente evitar usar os poderes
- Sim
- Mas e ai, onde deixou o helicóptero?
- Eu o destrui, não podemos ficar com ele
- Tem razão
Um garçom do pequeno restaurante se aproximou com seu cardápio e um pequeno bloquinho.
- O que desejam pedir?
- Ahh, me traz um frango - ela disse
- Uhun, e você senhor?
- Acho que um bife tá bom
- Tudo bem... espera ai, eu te conheço, eu te vi na TV alguns meses atrás
- Não sei do que está falando
- Não adianta me enganar cara, eu te amo, tenho até uma tatuagem sua, Veja!
- Xiiu! Não queremos chamar a atenção, mas valeu ai
- Desculpe, mas é que sou muito seu fã, você salvou muitas pessoas inclusive a minha irmã chata
- De nada, que bom saber disso
- Eu que agradeço, vou lá pegar seus pedidos
Victória olhu para o garçom indo embora e em seguida voltou seu olhar para Christian
- Olha... você tem um fã, quem diria..
- Pois é né...- disse Chris com vergonha
- Quem sabe um dia eu também seja reconhecida
- Acredite, é melhor assim...
- Hum... Viu, você disse que teve imprevistos, o que houve?
- Um homem em um jato me atacou, provavelmente um super-humano
- Achei que não tinha mais dessa
- Pois é, e incrivelmente ele tinha os mesmo poderes que você, porem ele só emitia as rajadas sônicos pela boca
- Sério?...
- Sim, por que?
- Eu acho que sei quem é
- E quem?
- Kev Bloc, ou Ecko, como ele gosta de ser chamado
- Onde conheceu ele?
- Ele é meu irmão mais novo, mas não fala muito comigo
- O que? Por que não me disse?
- Eu não precisava, mas não podemos confrontar-lo, ele é mais poderoso que eu
- Mas você pode voar disparar rajadas sônicas pelo corpo todo e ele apenas pode gritar
- Mas o poder sônico dele é muito mais poderoso, aliás ele não pode falar, qualquer palavrinha que disser, BOOM! Tudo morre!
- Uau
- Mas por que nunca chamou ele para a equipe, ele é do tipo vilão?
- Não, claro que não. Não sei direito o que ele faz, ele sempre foi misterioso, mas temos que tomar cuidado, não sabemos para quem ele trabalha
- Nós descobriremos para quem e por um fim nisso, tudo bem?
- Tudo!
- Então vamos agora!

Minutos depois

- Pô, cadê o cara, acho que demorei demais para trazer a comida - disse o garçom
Ele se aproximou da mesa e viu um papel com o autográfo de Chris
- Oh, Deus... NÃO ACREDITO QUE ELE ME DEU UM AUTÓGRAFO!!!
Todos no restaurante se assustaram com o grito do garçom
- Desculpe ai, estou emocionado, podem voltar a comer

Continua

Nenhum comentário:

Postar um comentário