12 de mar de 2016

As aventuras de Ame-senpai e Victor: Inversão de papéis 02

Vic-senpai

Eu e minha aprendiz nada humorada nos pusemos a caminhar, a fúria dela era impressionante, mesmo perdendo duelo após duelo não havia diminuído nem um pouco e nem mesmo me aceitava como mestre. Agora me lembro que a mãe dela falou sobre isso um dia,  “Ame-chan é teimosa como uma mula” ela disse. Quando contei a ela nosso destino seus olhos brilharam, pobre vampira chula, aposto que estava pensando em me jogar no fogo...tentar matar um demônio no fogo, imaginam isso?
Seguimos caminho pro Mc donalds que era a entrada pro inferno que ficava mais próxima de minha humilde mansão, pra variar tive de mantê-la sempre andando a minha frente pra me precaver de tentativas de me esfaquear, que só faziam rasgar minhas roupas. Ela e aquela raiva toda eram extremamente irritantes, quero dizer, como bom mestre que sou eu até levei ela a um psiquiatra, dai ela matou ele.
Quarteirão após quarteirão eu e minha mula teimosa continuávamos andando em silêncio até que chegamos ao nosso destino final:
- Chegamos aprendiz, o que vai querer pro seu lanche?
- Eu quero...chocolate.
- Ta, mas e seu lanche?
- Quero um lanche de chocolate!- disse ela, se preparando pra fazer birra.
Dei outro cascudo em sua cabeça antes que começasse, tenho que admitir que a cabeça dela estava ficando mais macia e era um tanto confortável de se dar porrada. No fim das contas acabei indo até o balcão e pedindo dois milk shakes de ovomaltine e também comprei uma barra de chocolate pra diminuir a cara de emburrada que ela fazia. Nos sentamos numa mesa e observei minha aprendiz que pela primeira vez não apresentava intenções de me matar, porém meu milk shake estava com um gosto diferente, parecia até veneno, claro, a vampira tinha mãos rápidas, porém dessa vez deixei passar e aproveitei meu saboroso milk shake sabor veneno enquanto pensava em encher o rei demônio de porrada e tomar aquela parte do inferno pra mim.   
Minha aprendiz mula, quero dizer, minha teimosa serva, terminou de tomar seu milk shake assim como eu, então nos dirigimos ao balcão com a intenção de cruzar o portal que ficava na cozinha:
- Estamos indo para a área vip
- Qual a senha meu bom senhor?
Ao que Ame-chan respondeu com uma voadora que o fez atravessar a janela, ela era sútil e delicada como sempre e... bem, eu podia dar um sermão, mas de qualquer forma nós estávamos invadindo pra matar o dono da casa, ou seja, não fazia diferença.
Cruzamos a porta e lá vinham os guardas do portal que foram alertados sobre nossa presença e bem, ela abriu um sorriso muito sincero quando dei permissão pra atacá-los. As vezes gostava de pensar em minha serva como um pokemon, porque assim como o pikachu ela é um tanto rebelde, porém ao contrário dele, ela não podia carregar meu celular e apenas é boa pra fazer faxina, lutar, reclamar e pedir chocolate, desde que a selei, a dita cuja só servia pra pedir coisas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário