19 de mar de 2016

As aventuras de Ame-senpai e Victor: Inversão de papéis 03

Ame-chan


Eu já estava de saco cheio de tanto andar… ainda que alegassem categoricamente que aquela era a sala VIP, não tinha nada de VIP ali. A gente desceu toda vida - custava ter um elevador? - por uma escadaria absurdamente alta. Além disso, a cada passo a temperatura subia, de maneira que lamentei imensamente não ter trazido nenhum picolé comigo. Ainda que imagine que ele não duraria nada ali naquele Inferno.
- Vic…
- O que foi, serva?
Ignorei a última palavra totalmente. - Já estamos chegando?
- Er… sabe que eu não sei?
Parei no meio do caminho, pronta para enfiar o dedo no meio da cara dele e xingá-lo quando acabei tropeçando em mim mesma - quando se vira desse jeito descendo uma escada, isso é meio provável de acontecer - e desequilibrei para trás. Tentando não cair acabei me agarrando ao Vic… digo, ao meu mestre inútil, e o infeliz ao invés de me segurar, resolveu se assustar também.
Resumindo a história toda: dois parceiros completamente enrolados despencando escada abaixo e caindo de cara no chão como se fossem uma trouxa de roupa suja.
- Por que diabos você não me puxou de volta? - Choraminguei mais do que retruquei, usando ambas as mãos para cobrir o acúmulo de galos que surgiram em minha cabeça, dignos de uma animação do Picapau.
- Você me assustou, sua retardada! - E antes que pudesse jogar mais uma afronta contra mim, uma voz  interferiu.
- Ei, quem foi que me chamou?
O demônio de dois metros de altura mal chegou a aparecer antes que tivesse um pé masculino enfiado em sua boca. E depois ser catapultado para longe por Victor. - Ninguém te chamou aqui não, ô, filhote de cruz credo! Vê se aparece quando for sua deixa, imbecil.
- Você esqueceu de trocar suas meias de novo? - Cogitei, erguendo o dedo indicador, imaginando que o intruso não fora mandado para longe apenas pela força do chute.
- Não sei, quer checá-las pra mim, Serva?
- Sabe o que vou checar? Quantos metros por segundo eu precisarei chutá-lo para que chegue o quanto antes até a lua!
Ele me ignorou - odeio quando usam minha especialidade contra mim - e retornamos ao caminho. Precisamos andar mais três horas praticamente sem parar, só interrompemos nossas andanças uma vez, porque tivemos que fazer nosso lancinho da tarde, é claro (Não posso reclamar muito em questão de comida, o Inferno serve um churrasco de primeira, até pra quem está invadindo).

Já tenho uma nota mental: da próxima vez, irei sugerir a Victor que derrubemos o Demônio Rei de um Inferno mais frio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário