8 de fev de 2016

Amélia a Caçadora de Bruxas: Capitulo 03

       THE DARK CHRONICLES 
              As  Crônicas Sombrias:
         Amélia, a Caçadora de Bruxas
        Uma série original da Caverna
                       Capitulo 03

Após o misterioso desaparecimento de um capitulo (sério, não sei onde foi parar) e alguns dias sem postar, aqui está mais um capitulo da mulher que um dia será o terror das bruxas!








A cabeça de Amelia doía e sua visão estava embaçada, ao olhar ao redor percebeu que ainda estava na pousada do estranho vilarejo dos sussurros, o quarto estava no mesmo estado em que ela o deixará quando havia se hospedado, como se tivesse voltado no tempo. Abriu as janelas, olhou para a rua e respirou fundo, era cheiro de bruxa porém já estava se dissipando, as malditas criaturas haviam ido embora antes dela acordar.
Depois de pesar os fatos ela decidiu aproveitar o fato do dia estar apenas começando, para ir até o ferreiro em segurança. Com pressa, Amélia caminhou pelo quarto guardando suas coisas na mochila, normalmente ela deixaria as coisas na pousada, porém nada naquele vilarejo era confiável, após uma rápida checagem, podê ver que estava tudo guardado e seguiu rumo ao estabulo onde seu cavalo passara a noite, ao menos um ponto positivo, o cavalo estava vivo.
Saiu a galope da vila em quanto ainda era de manhã, o caminho era o mesmo, porém desta vez ele parecia mais curto, a diferença era tanta que em poucas horas ela foi capaz de chegar até o ferreiro:
- Ola, vim buscar minhas facas- disse ela de forma em quanto mexia as mãos de forma inquieta.
- Certo my Lady, aqui estão as facas que encomendou- disse o ferreiro de forma cortês.
- Quanto custarão?
- Cinco moedas de ouro.
O pagou pelas facas com pressa e sem mais, Amelia se foi. Precisava se concentrar em revisar os fatos, as bruxas provavelmente virão em maior numero na próxima noite pra sobrepuja-la e continuar a bagunçar seus sonhos, então o ideal seria fazer uma armadilha e surpreende-las, então, após pensar rapidamente decidiu que precisava de cordas, sal, alguns baldes e um lugar onde houvessem muitas árvores, aquele era um vilarejo onde as pessoas viviam de trabalhos artesanais, por isso, depois de algum tempo ela tinha tudo o que precisava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário