1 de fev de 2016

Isaac o Caçador de Demônios: Capitulo 04

THE DARK CHRONICLES
Uma série original da Caverna...

A todos os leitores desta série, espero que entendam a demora, sabe como é, estive por ai combatendo dragões e bruxos das trevas, em fim, eu voltei e aqui está mais uma edição!



Ao desmaiar Isaac se viu em uma planície de de grama onde o vento batia calmamente e o sol era agradável, ele se sentou e pensou consigo "morrer não foi tão ruim quanto disseram que seria", então surgiu uma mão gigantesca por entre as nuvens e o puxou de volta.
Estava deitado em algo confortável e...vivo, olhou ao redor e se deparou com um homem que tinha em seu rosto um grande bigode e trajava um tipo de saia colorida, uma camisa e um tipo e um manto preto que parecia ser feito de lã.
- Seja lá quem for, tenho certeza que este vai ser um longo dia.
- Uh, meu bom senhor, finalmente você acordou- disse o homem bigodudo em quanto abria um largo sorriso de satisfação.
- Por quanto tempo eu dormi?
- Cinco dias, pois fora o fato do sangue de anjo te-lo destroçado por dentro, aquele demônio realmente te acertou com força.
- Como cheguei até aqui?
- Você voou até a nossa porta com o santo graal em mãos, então o acolhemos seguindo nosso lema sobre hospitalidade, a propósito, onde o encontrou?
- Na encosta de uma montanha onde havia uma caverna, o que sabe sobre a relíquia?
- As lendas dizem que ela é uma dádiva do deus hebreu, que num passado distante foi usada como recurso para vencer guerras, o sangue de anjo que ela gera da força extra porém com o tempo ele mata o usuário por dentro.
- Vou sobreviver?
- Nós usamos magia para te curar, daqui a dois dias estará recuperado.
- Quem são vocês?
- Somos druidas da floresta.
- Por mais que eu ache estranho, vocês cuidaram de mim, então devem ser bons- disse Isaac pesando os fatos em voz alta.
O homem bigodudo sorriu e deu a ele uma tigela com um tipo de mingau com cereais dentro, Isaac realmente estava faminto e aquilo cheirava muito bem, então pegou um pouco com certa dificuldade e experimentou, era doce, assim continuou comendo até saciar a fome.
Aquele lugar emanava uma paz estranha, mas de qualquer forma, Isaac sabia que logo teria de partir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário