24 de fev de 2016

Super Humanos: Pré-Guerra | Capítulo 1-4 | #5

E SE EU FOSSE DONO DE UMA EDITORA  #21

                  SUPER HUMANOS
                        PRÉ-GUERRA
         Uma série original da Caverna

Sinopse: Após uma falha em uma missão, Chris e sua turma abandonam a corporação e passam a viver como querem, mas após fazer isso, coisas estranhas começam a acontecer com Chris e todos que conhece.

CLIQUE EM LEIA MAIS PARA COMEÇAR A LER A ESTÓRIA.


Episódio 5 - A Guerreira Branca

- Eu não consigo mais ficar assim, não sei, eu achei que poderia, porém é mais complicado do que parece, eu acho que eu deveria voltar pra casa e ver no que dá.
- Christian escute com atenção. Você é de maior agora, tem um emprego com o governo, tem seu dinheiro, entenda, você não precisa mais de mim. Sabe quantas pessoas fariam de tudo só pra chegar onde você chegou?  Você pode vir me visitar a hora que quiser, mas infelizmente não poderá morar aqui
- Eu não...
- O que foi?
- Um minuto pai..
Christian largou o celular por um minuto e caminhou até a janelinha no subsolo onde ele estava e do lado de fora, ele pode ver uma movimentação suspeita e logo voltou ao celular.
- Tenho que desligar
- Por que?
- Tenho que ver a Susan, ela está com problemas

Minutos depois

Chris subiu as escadas rapidamente até o apartamento onde estavam Victória e seus dois amigos.
- Demorou?!
- Como estão?
- Bem...
- Então já podemos ir embora - disse ele fazendo um sinal
- Ok
Gabriel e seu amigo já estavam bem, a dor era apenas passageira e os dois já podiam andar normalmente, Enquanto eles estavam se preparando pra sair, Victória e Christian estavam no quarto arrumando seus pertences e conversando ao mesmo tempo.
- Para onde vamos? Você já sabe?
- Não, mas isso não será problema
- Eu só quero ir para casa!
- Não podemos enquanto não acabarmos com aqueles homens que nos perseguem
- E quando isso vai acabar?
- Breve...
Um barulho soou na rua, Chris olhou para a janela e caminhou lentamente até ela, quando chegoy, abriu as flechinhas para ter uma visão melhor da rua, mas a única coisa que viu foi uma adaga vindo em sua direção, ele curvou sua cabeça para a direita e deixou ela atravessar a janela e parar na parede
- Se abaixa! - ele disse
- O que é isso? - ela perguntou
- Alguém querendo nos matar, pra variar
Chris botou a cabeça pra fora e viu várias mulheres com uniformes brancos e listras prateadas, mas somente uma usava capuz.
- O que está fazendo? 
- Tenho um plano - ele disse se preparando - Grite o mais forte que puder!
- Por que?
- Não me afetará, eu controlarei as ondas contra elas
- Tem certeza?
- Sim, vamos!
Victória então se levantou e ficou fora do alcance das mulheres, ela se apoiou na parede, dobrou os joelhos e gritou super sônico, Chris estendeu as mãos, mas foi atingido e se chocou contra a parede
- Meu Deus, você tá bem? Eu sabia que não daria certo
- Não, mais uma vez!
- Não!
- Vai logo, agora vai!
- Tá, mas acho que gritar não é a melhor opção, talvez se eu lançar as ondas pelas mãos, elas ficam mais concentradas não acha?
- É... tem razão, não sei como não pensei nisso antes
Victória deu alguns passos para trás e lançou as ondas, Chris agora concentrado curvou-las em direção a rua. As mulheres quase ficaram surdas e tamparam seus ouvidos. Foi o momento perfeito para agir, Chris subiu na janela e saltou para a rua lançando um forte poder que deixou todas no chão. Em seguida Chris estendeu as mãos e puxou todas as facas e armas das mulheres, mas a de capuz se levantou rapidamente e pegou a espada enquanto Chris puxava. Com a espada indo em direção a Chris, ela empunhou e deu um giro no ar com um mortal e desferiu um ataque cortante contra o crânio de Chris, ele se abaixou e chutou a perna da mulher, quando ela se ajoelhou, ele pegou a mulher pelo pescoço e jogou ela para alguns metros dali.
- O que você quer? - ele perguntou
- O mesmo que você!
- Eu não quero ferir pessoas desconhecidas!
- A não? O que foi aquilo mais cedo?
- Você quer me matar por isso? Mostre seu rosto se você tem coragem!
- Eu não preciso, não fará diferença para você
- E por que não?
- Porque  você estará morto!
A mulher deixou seu braço direito para trás e carregou sua força, quando atingiu o máximo,  ela lançou sua adaga contra Chris que mexeu o braço para a esquerda mandando a adaga para a direção desejada. Ela aproveitando os poucos segundos de vantagem, correu contra
o inimigo e esticou os braços com sua espada em direção ao peito de Chris.
- Sente a dor agora?
Chris assustado olhou para baixo e viu que havia parado a espada um centímetro antes de perfurar seu corpo. A guerreira ficou surpresa com o ocorrido, ninguém conseguiu em toda a história frear um ataque da Guerreira Branca, nem mesmo um super-humano.
- Você não é super-humano... você é....
Chris ainda surpreso ficou paralisado e deixou as mulheres irem embora. Ele não entendeu muito bem o que ela quis dizer, mas ele ficou curioso, o que ele era? O que será que ela quis dizer com aquilo? De qualquer forma, ele necessitava descobrir.
- Chris! Você está bem, para onde elas foram?
- Não sei
- Venha vamos embora, a policia está vindo e os seguranças do hotel estão vindo também
- E eles?
- Estão no táxi, vamos!

De noite

Os quatro caminhavam pela rua da pequena cidade de Lakkot's, eles não sabiam onde iriam passar a noite, mas de uma coisa sabiam. Ali não era seguro, agora as guerreiras estão preparadas e sabem com quem estão lidando. Um ataque surpresa poderia ser fatal.
- Então Gabriel, você não disse até agora por que estava vindo até nós
- Bom...
- Eu pedi para ele fazer um favor - disse Victória
- Que favor?
- Sabe quando fomos para a missão noturna?
- Sim...?
- Então, eu como sempre suspeitei, e pedi para que eles, pessoas normais, passassem por lá e vissem o que não poderíamos
- E?
- Bom, eles estavam esquisitos... - continuou Gabriel
- Como assim ''esquisitos''? - Chris perguntou
- Deixe ele terminar - respondeu ela
- É, não sei explicar muito bem, não pareciam humanos se assim dizer, eles nem mesmo trocaram palavras
- Estranho né, isso me lembra alguns contos de terror que eu ouvia quando era criança. - disse Victória pensativa
- Eles... e Matheus? Vocês viram ele?
- Matheus? Não sei de nenhum, mas podemos ir lá agora procurar
- De jeito nenhum
- Vamos abandonar ele assim? - perguntou Chris indignado
- Olha, não sei nada desse tal de Matheus, mas essa hora ele já deve ter dançado
- Talvez não seja má ideia - concordou Victória
Christian olhou estranhamente, isso não era normal para ela, mas é bom para ele saber que ela arriscaria para salvar um colega de trabalho.
- Vão na frente, eu tenho que ver uma coisa antes
- O que?
- Susan está hospitalada não muito longe daqui, irei ver-la e depois rastrearei vocês
- Tudo bem, se cuide!
- Eu irei
Então, Victória e seus amigos foram em direção a floresta afim de descobrir o que está havendo do outro lado. Enquanto Christian voltou para a cidade para ver Susan, que misteriosamente foi agredida.
Chris sabia que a guerra contra o mal só estava começando, mas ele não tinha pressa para que a hora da batalha chegasse, pois ele estava pronto e desta vez mais do que nunca

Continua


Nenhum comentário:

Postar um comentário