25 de mar de 2016

A Saga do Esquilo

Ola a todos, hoje o blog completou 10000 views e pra comemorar, eu e o Sr Calango nos juntamos para escrever está incrível história que será postada em duas partes a outra vira amanhã, então... divirtam-se!


Era uma vez, um esquilo que sonhava ser um ninja, porém era um esquilo, então precisava de treinamento para se tornar O ninja, então ele começou seu caminho para ir até a lendária montanha dos esquilos, monges, ninjas, explosivos, dançarinos da macarena sagrada, mas para chegar até lá, ele deveria passar por varias fases para provar ser digno.
Antes de partir, ele decidiu reunir coisas uteis, mas  ele era um pobre esquilo, e não sabia o que levar, então ele consultou seu guia do aventureiro e botou na sua mochila bolinhos, shurikens, revistas playboy, duas facas e um palito de dentes.Quando acabou de reunir as coisas, estava cansado, então tirou uma soneca em seu buraco/casa/árvores de esquilo,o tempo passou e ele foi acordado pela sua irmã gorda que ficava o tempo inteiro comendo nozes:
- Onde você vai?
- Vou ser um ninja lendário
- Não, você tem que ficar e preparar minhas nozes!
O esquilo ficou puto e enfiou as nozes num lugar que ela não podia alcançar e assim partiu para sua aventura, porém, antes de partir, ele pegou sua espada de madeira e bateu algumas vezes nela aproveitando a deixa, e então começou sua caminhada em meio a uma forte tempestade de inverno, ele caminhava com dificuldade mas continuava firme e demonstrava força para os vigilantes que vigiavam verem que ele é digno. No meio da floresta ele encontrou um gato barbudo com ar de sábio que disse:
- Diga-me ó nobre esquilo que caminha pela nevasca enquanto é observado pelos observadores, qual a origem do poder supremo?- ao que o jovem esquilo, se aproximou e respondeu.
- Ela nasceu nos confins da montanha do rabo do macaco pelado onde o lado mais fraco de uma corda se partiu.
- Correto, agora tome aqui este poncho para protege-lo deste frio que assola seus passos.-disse o esquilo enquanto entregava o prêmio ao esquilo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário