11 de mar de 2016

Recomendação de RPG Maker da Ame-chan


Boa noite, alminhas penadas!


A falta de internet me impossibilitou de postar semana passada (minha falta de sorte é destrutiva), mas estou de volta. E a bola da vez vai para... tadadadada!



The Gray Garden


Bem... para falar a verdade TGG está empatado com Ib dentro do meu coração, porque tem alguns dos personagens mais carismáticos da minha lista de RPGMaker. Na realidade, é dificil não amar todas as personalidades distintas que rodam esse universo, mesmo que algumas apareçam bem pouco na trama. E é uma loooonga trama, sem sombra de dúvida.

The Gray Garden foi criado por Deep-Sea Prisoner (ou Mogeko), no RPG Maker 2000. Ele é caracterizado por um foco pesado na história, sendo um jogo de exploração e batalhas de turnos. Nós seguimos a história de Yosafire, uma demônio muito simpática e amante de flores. Apesar de ser dito que ela é a protagonista, as lutas ocorrem na maior parte do tempo com ela e mais três personagens: Froze, Macarona e Rawberry.


O jogo se passa em um mundo onde já houve uma guerra terrível entre Etihw, ou o deus do mundo, e Kcalb, o diabo. Depois de muitas perdas, os dois acabaram por chegar a um acordo e a partir dai anjos e demônios passam a viver em harmonia. Bom... até um certo morcego flamejante aparecer por lá, pelo menos.


Mogeko tem uma fama meio turbulenta com relação aos seus jogos... apesar de começarem fofinhos, os finais ruins geralmente são bem insanos e sangrentos. Também foi afirmado por ele que todos os personagens de The Gray Garden são bissexuais.  A própria Etihw, apesar de parecer uma mulher, não tem um gênero bem definido. De qualquer forma, todos os três jogos de Mogeko que conheço (e joguei) tem classificação etária beirando +14 e +18 (trazendo para os padrões brasileiros, obviamente), principalmente no que toca a violência. E, para ser sincera, dos três (TGG, Wadanohara e o Grande Mar Azul e Castelo Mogeko), The Gray Garden me pareceu o mais tranquilo. Mantenham isso em mente quando forem jogar, por favor!

Existem muitos personagens no jogo, e embora você possa controlar alguns por um pedaço de tempo, só cinco batalham de fato. Os quatro primeiros são do grupo principal de Yosafire, e são os jogáveis recorrentes. Em uma certa parte do jogo, também tomamos o controle do "Demônio de Passagem", uma personagem absurda que já chega em nossas mãos com o baixíssimo (só que não) nível 50.
Certo... eu mal tive saco pra upar minhas personagens até o 25. Tá tudo bem.
Ao todo são vinte personagens, todos com personalidade diferente, de maneira que é fácil acabar gostando de pelo menos um.



+Grupo Principal:



  • Yosafire: O demônio simpático que gosta de flores e de brincar com suas amigas. Apesar de ter asas, não as usa por causa de um trauma sofrido a algum tempo atrás. Tem muito medo de altura.
  • Froze: A melhor amiga de Yosafire, um anjo de modos frios, séria e teimosa. Parece não ter sentimentos, mas os tem sim, apenas não demonstra. Diz-se que gosta de sorvete.
  • Macarona: Um anjo, tímida e de poucas palavras. Apesar disso, é muito forte. Detesta insetos.
  • Rawberry: A melhor amiga de Macarona, um demônio de gostos alimentares peculiares, com tendência a comer qualquer coisa (principalmente os insetos que sua amiga tanto detesta). Ela definitivamente só pensa em comida...

+Outros habitantes do jardim: 

  • Dialo: Uma demônio. Em sua casa reunem-se Yosafire, Froze, Macarona e Rawberry para comerem torta de maçã, que faz com frequência.
  • Chelan: A calada companheira anjo de Dialo. Parece ser muito gentil. (como ela não fala em momento nenhum, é possível que seja muda mesmo).
  • Lowrie: Professor da escola em que as meninas estudam (sim, elas estudam em uma escola), um demônio-pássaro. Tem uma personalidade amável e paciente, e conhece muitas histórias sobre outros mundos.
  • Greif: A professora da escola, parceira de Lowrie. Ao contrário deste, é rigorosa e implacável, tendo uma personalidade bastante séria. Imagino que seja um anjo, mas por falta de incerteza não afirmarei isso.
  • Rasbel: A irmã mais velha de Rawberry. Tem tendência a dormir por muito tempo (quase indefinidamente) se não for acordada pela irmã.

+Habitantes do Castelo BlancBlack:


  • Etihw: O deus que criou o Gray Garden. Seu gênero é indefinido, apesar de sua forma ser feminina. É preguiçoso, acomodado e descontraído. Tem interesse amoroso com relação a Kcalb. Seu nome é a palavra white (branco) escrita ao contrário.
  • Kcalb: O diabo do Gray Garden. É escandalosamente timido e ama doces (E Etihw, mas provavelmente ele não vai admitir isso). Tanto ele quanto o deus eram completamente diferentes em personalidade quando guerreavam, mas quando a paz se instaurou ambos pareceram se acomodar. Seu nome ao contrário é black (negro).
  • Wodahs: Um anjo, o irmão mais novo de Kcalb (apesar deste ser um diabo). Diz-se que um de seus olhos foi perdido graças ao diabo. É extremamente calmo, só demonstrando irritação ou raiva em situações raras. Ao contrário, seu nome forma a palavra shadow (sombra).
  • Alela Grora: Um anjo, sobrevivente dos dias de guerra. Ela também não tem um dos olhos, mas este foi tirado por Ater. Tem uma incrível força de vontade. É amigável com a maioria dos personagens do jogo (salvo excessões).
  • Ater e Arbus: As ubordinadas metade gato de Kcalb. Ambas são demônios travessas, e aparentemente nunca ouvem o que seu mestre diz. Por causa de sua sincronia, tendem a terminar as frases uma da outra ou repeti-las com outra estrutura.



Outros personagens são os vilões (que obviamente não irei mencionar aqui, porque se não não vai ter graça (hehe) e o Demônio de Passagem, cuja verdadeira identidade só é revelada mais tarde.

Existem míriades de equipamentos espalhados pelos mapas, assim como itens para ajudar nas batalhas e afins, o que evita de precisarem upar demasiadamente. Ainda assim, é recomendável que matem uns bichinhos de vez em quando enquanto forem explorando o mapa. Também é recomendável que vá trocando os equipamentos já utilizados por novos a medida que os for achando. Algumas lutas são obrigatórias. Para os finais que exigem perder uma luta para se conseguir, o conselho que dou é tirar todos os equipamentos das personagens e usar apenas ataques básicos.

O único defeito gritante que achei no jogo é que em algumas partes você tem que voltar o mapa inteiro pra ir para outro lugar, o que toma um pouco de tempo, mas considerando a história e os finais, vale muito a pena. E por falar nos finais, eis aqui como consegui-los:



+Finais:

  • Final Ruim 1: Acontece na Cidade Flamejante, enquanto as meninas são perseguidas por Emalf. Em um dos caminhos há um beco sem saída, no qual ele as pegará.
  • Final Ruim 2: Perca a primeira luta contra Poemi
  • Final Ruim 3: Quando Macarona reencontra Rawberry na vila, escolha a opção do grito (Yaaaaaaaahhhh ou algo que o valha).
  • Final Normal (eu considero um final ruim do mesmo jeito, mas tá valendo): Perca para o chefe final (segunda luta).
  • Final Verdadeiro: Ganhe a luta contra o chefe final (segunda luta).


É... estamos todos quebrados, mas nem foi assim tão difícil... foi?
O jogo está disponível em português, sendo que a tradução foi feita pela Mei do Zero Corpse (que Etihw a abençoe, porque jamais teria jogado se estivesse em inglês).



Nos vemos na próxima semana (se a net ajudar) com mais uma recomendação. Até lá!






~Kit Black









Nenhum comentário:

Postar um comentário