16 de abr de 2016

As aventuras de Ame-senpai e Dead Victor: A donzela em perigo 02

Victor
Era uma noite fria e supimpa, eu tinha ido assistir dead poul no cinema, o filme estava hilário e me deu várias ideias pra trollar a Baka-Ame que pegou meu poncho “emprestado” com a desculpa de que faz muito frio no castelo da Char, que aliais é muito fofa, não entendo o porquê dela ficar com medo de ser despedaçada em mil pedaços toda vez que precisa visitá-la, eu nunca a vi fazer sequer uma maldade, a Ame-chan é mesmo muito medrosa.
Depois daquela noite onde um maldito demônio destruiu minha casa, meu video-game, minha geladeira e minha dignidade eu tive que me hospedar na casa da minha incrível senpai, que apesar de ser muito forte e habilidosa não consegue manter o apartamento arrumado, então assim que cheguei lá, fiquei um tanto bolado com a bagunça toda e arrumei tudo, dai jogamos pizza enquanto comiamos meu vídeo-game novo, aquele ps4 tava extremamente delicioso.

Saindo do cinema vi pessoas dead poul, animais dead poul, prédios dead poul e carros dead poul, eu estava no mundo dele, então fui pra casa poul enquanto cantava o rap dead pool sobre as lendárias chimichangas flutuantes do monte dead poul e tomei muito cuidado pra não ficar bravo, que na real significa ficar dead puto.
Estava perto da casa, quando olhei para uma vitrine que tinha a roupa do dead poul e me pôs em um inesperado dilema moral:
- Elas são pra mim!
- Mas se eu roubar a Ame-senpai vai ficar brava…
- E se ela nunca descobrir!?
- Naum, má ideia, ela descobre tudo, é um monstro inacreditável.
- Já sei!
Então quebrei o vidro da loja, roubei as roupas e deixei alguns dinheiros, agora sim, hora de ir pra minha dead casa, com meu dead uniforme. A casa da Ame-senpai era um apartamento gigante com várias passagens secretas e dois quartos muito supimpas, porém nunca vi o dela “se entrar aqui, terei cachorro pulguento assado pro jantar” foi o que ela disse. Meu quarto era extremamente show de bola, tão show de bola que sempre me perguntava quão legal o dela deveria ser pra ela ter dado aquele pra mim, ao invés de ter cama, havia um colchão encaixado no chão que ficava acima do piso e um banheiro totalmente...totalmente normal, porém muito banheirastico com um espelho que na verdade é um portal, sabem, coisas de banheiro básicas e uma claraboia gigante com um vidro anti-lobisomem, pra eu não me transformar acidentalmente, o melhor do quarto é que eu nunca me sentia sozinho, sempre tinha vozes sussurrando pra mim e as vezes jogávamos rpg de mesa que é um jogo que a senpai me ensinou a pouco tempo, no começo pensei que fosse coisa de gente velha, mas é muito divertido. Eles ainda me davam ideias de como trollar a Ame-senpai.
Na saída do dead cinema ela me mandou pro inferno (não vi graça no trocadilho), e depois desligou na minha cara, nem deu tempo de dizer que eu ia assistir o filme de novo no dia seguinte, pra poder presenciar a dead zuaera do dead poul, ou perguntar pra onde a Char havia a mandado desta vez. Decidi aproveitar a chance pra entrar no quarto dela, a porta estava selada, então fui pela porta do banheiro, que aparentemente era normal, mas tinha uma jiboia na banheira:
- O que você essstá fazendo aqui???
- Sou entregador de pizza, vim entregar uma pizza pra Ame-chan- disse eu, enquanto balançava a cabeça esperando que ela acreditasse.

- Você essstá mentindooo! - disse ela enquanto se enrolava ao meu redor até ficar completamente preso, então me teleportou de volta pro meu quarto, aparentemente todos podem se teleportar nessa história, menos eu. Sem mais opções do que fazer, decidi ficar jogando rpg com os sussurros e depois dormi. Na manhã seguinte ela ainda não tinha chegado, então sai pra tomar ar e comprar panquecas (Ame-chan não me deixa comer panquecas no café da manhã porque não é saudável), era uma bela dead manhã pra caminhar por ai com meu dead uniforme, respirei fundo e olhei pro céu “SUA MESTRA FOI RAPTADA, SEU BESTA”- Ahhhh sim, agora tudo faz sentido...

Nenhum comentário:

Postar um comentário