25 de nov de 2015

Lunáticos #02 | CAP 1-3

A Caverna de Ideias apresenta...
E se eu fosse dono de uma editora #11
Parte 2 - As Joias

Uma série original da Caverna

CLIQUE EM LEIA MAIS PARA SEGUIR PRA ESTÓRIA


Parte 2 - As Joias

Anos atrás...
- As joias como vocês devem saber, são os objetos mais poderosos do mundo e cada joia possui uma habilidade especifica.
- Disso sabemos pai, mostre elas para nós agora - diz Drakel
Uma câmara se abre e todos vêem vários capacetes e uma joia perto da região da testa em cada um.
Haviam 7 joias das cores vermelha, azul clara, dourada, roxa, verde, azul e marrom. A joia vermelha pertencia a Drakel e dava a ele a habilidade de ficar mais forte e  intangível. A joia azul clara dava ao portador a habilidade de curar qualquer ferida ou doença. A dourada pertencia ao rei Urano e dava a ele a habilidade de manter o equilíbrio do mundo, manipular vidas, força, lançar raios e mudar de forma. A roxa dava ao portador a habilidade de se rejuvenescer, mas ela teria que tirar isso de alguém e dar a ela própria. Já a joia verde podia controlar o clima. A azul de Óreon podia manipular a gravidade. E por último a joia marrom que podia manipular a matéria.
Óreon, Drakel e Urano pegam suas joias e encaixam em suas cabeças.
- E eu? - pergunta Hawke
- Você sabe por que não tem! - responde Urano
- Estou em segundo no torneio, nada mais justo do que eu ter uma, já que Drakel que está em último e tem uma!
- Ele tem por que é obediente!
- Me dê pelo menos a joia verde?
- Não, vamos sair pois já está ficando tarde!

Dias atuais...
Era dia de festa, todos comemoravam no reino e até Hawke estava lá, mas não com o objetivo de se divertir.
- Eu preciso de uma joia!
- Ei cara, eu quero te ajudar mas é impossível pegarmos a joia
- Lous, me ajude e eu irei te recompensar bem!
- Não dá
- Você sabe de algo pelo menos que possa me ajudar?
- Vamos a minha casa, lá podemos ver
Lous o melhor amigo de Hawke o leva para casa, os dois entram e lá estavam Katys, Luthur e Gynai
- Olá pessoal, olhem que eu trouxe - diz Lous
- Oi - diz Hawke
- Ah que saudade de você - diz Katys abraçando Hawke
- Beleza, vamos ao que interessa! - Lous
Os cinco fazem uma roda e sentam conversando sobre as joias, Hawke estava determinado a ter uma e faria de tudo, até desobedecer mais uma vez seu pai.
- Só existem essa joias, não há nenhuma perdida por ai? - pergunta Hawke
- Não sei, já ouvi relatos de seres com Joias sem cores, apenas cinzas, negras e até brancas - responde Gynai
- Negras? Me soa familiar - diz Hawke
- Calma ai
Gynai corre pro seu armário e procura por um livro e leva ao grupo.
- É isso, ''AS JOIAS DOS ANCESTRAIS'',
- Dá até medo só de ouvir - Lous
- Então elas existem de fato? - pergunta Hawke
- Aparentemente sim! Por que, deseja ir atrás?
- Sim, leia para mim
- '' Milênios atrás, no inicio de Encarnum um povo antigo dominava o mundo e esse povo era liderado por dois irmãos, o tempo foi passando e o desejo por poder cresceu no irmão menor que decidiu criar um artefato poderoso e reinar sozinho e então ele criou a Joia Negra e Cinza, ao ser traido o irmão mais velho conseguiu criar uma parecida e batizou de a Joia Branca e assim combateu o irmão rebelde em uma batalha épica onde só um sairia vencedor. O portador da joia Branca acabou vencendo e decidiu esconder para sempre a Joia Negra enquanto a Cinza foi perdida para sempre! Vendo que poderia haver mais seres como seu irmão, ele decidiu criar várias joias para pessoas boas protegerem o mundo e a Joia Branca acabou trocando de cor e ficando dourada.
- Interessante... a joia negra me espera
- É suicidio, no livro diz que apenas o criador consegue manipular as joias, a menos que o rei permita!
- Eu sou um filho real, talvez isso me ajude
- E se não ajudar?
- Então eu morrerei tentando, não ficarei mais nem um dia aqui aguentando isso.
- Apenas o criador da Joia Negra pode manipular-la, e ele está morto.
- No livro não diz isso, eu o encontrarei e conseguirei a joia a qualquer custo, mas e vocês estão do meu lado? - pergunta Hawke
- Sim - respondem em uníssono
A festa continuava a todo vapor, os 5 amigos descem a montanha e vão direto ao portal que liga Encarnum aos outros mundos, a noite estava silenciosa até demais
- Silencio, tem alguem vindo - diz Luthur
- É minha irmã, se escondam! - diz Hawke
- Hawke? - pergunta Zara
- Sim?
- O que está fazendo aqui?
- Eu lhe pergunto o mesmo
- Fui falar com o guardião, e você?
- Eu também!
- Ah é? Pra que?
- Estou muito machucado, eu queria perguntar a ele como achar uma cura
- Eu estou com a minha Joia, eu te curo
Zara encosta sua mão no ombro do irmão mas nada acontece
- Você não está machucado
- Eu sei, desculpe por isso
Os 4 seguram Zara enquanto Hawke foge
- Haawkee
- Você não vai a lugar algum - diz Luthur
Hawke corria desesperado pela mata, ele chega ao portal que estava sendo vigiado
- Você ai, PARADO!
- Sou eu, Hawke, filho real
- Desculpe príncipe Hawke, achei que fosse outra pessoa, sabe como é né?
- É, eu sei sim - Hawke tira uma katana que estava em suas costas e lança contra o guardião, ele puxa a katana de volta e entra no portal
Zara consegue escapar e vai até o guardião que já estava morto, ela ativa um sinal alertando a todos a fuga de Hawke, já os 4 conseguem fugir.
O rei furioso inicia uma busca atrás do filho Hawke, ele interroga cada um dos amigos de Hawke que dizem que ele foi atrás da joia negra.
- ATENÇÃO, não podemos permitir que ele alcance outros mundos, quero todos atrás dele agora e tragam-no até mim.
O exército vai atrás do principe adentrando ao portal, Hawke avista o exército atrás dele e continua a correr, a noite estava muito fria e ele acaba sendo cercado na borda de um penhasco
- PARADO!
- Calma, apenas fui tomar um ar!
- Quero ver dizer isso para Urano
- Não irei, e nem vocês!
Uma legião de lobos gigantes avança contra os soldados matando todos e deixando Hawke livre para seguir seu plano atrás da joia negra.
Continua...

Na proxima semana...

Óreon descobre novos mundos atráves do portal, já o rei não sabe mais o que fazer além de apenas esperar a volta do filho. Furioso com o cancelamento do torneio Óreon decide ir atrás do irmão.

CALANGO

Nenhum comentário:

Postar um comentário