1 de out de 2015

O Medo

“E então o medo se divertiu enquanto tentávamos nos defender inutilmente
do seu olhar penetrante.”



Desde o começo dos tempos o escuro existe e hoje é visto como o causador primário do medo. Na antiguidade, culturas como caldeus, egípcios, maias, entre outros, já tinham conhecimento astronômico e conseguiam calcular quando fenômenos astrológicos iriam ocorrer. Os eclipses eram vistos como sinal de mal agouro, acredito que isto explique o aparente empenho em aprender a prevê-los, neste post pretendo levá-los a entender os motivos de tais esforços.

Comecemos pelo medo e suas fases, algo que para todos existe desde sempre, o sentimento que predomina quando pressentimos que algo ruim pode acontecer. Quando criança o primeiro e mais frequente temor que um ser humawno pode sentir é o do escuro, após isso vem as fobias que são como um conjunto de possíveis temores que podem se manifestar de formas. Foquemos no primeiro deles, a princípio não há sentido em temer algo assim, porém eu lhes digo que para começo de conversa o medo não é um sentimento e sim uma criatura que nasce na penumbra da noite, nas sombras, onde a luz não pode alcançar.

Voltemos ao “tempo da pedra”, para explicar meu ponto de vista. Nossos antepassados, os Neanderthais, tinham mentes simples e eram quase incapazes de se comunicar entre si, porém vemos que em algum momento eles se viram em uma situação que os forçou a evoluir, começaram a notar algo entre as sombras da noite que lhes trouxe um pensamento novo, algo que marcaria todas as próximas gerações evolução a dentro. Esta nova sensação os levou a fazer coisas tais como ferramentas e até mesmo dominar o fogo, podemos dizer que o fogo tem várias utilidades como cozinhar e afugentar feras, mas a primeira coisa que os Neanderthais perceberam foi que o fogo afastava a escuridão. Então, em diferentes partes do mundo onde nossos antepassados habitavam, diferentes desenvolvimentos de medo se “estabeleceram”, porém com a mesma origem, as criaturas da escuridão. Este medo penetrou em nossas mentes, adentrou em nosso DNA e assim como todo animal, nós nos adaptamos e evoluímos para a auto preservação e é esse traço em nosso DNA que nos faz temer os lugares sem luz.

Assim como é falado na menor, porém mais assustadora história de terror do mundo “o ultimo homem do mundo estava trancado em seu quarto quando algo bateu em sua porta”, porém não é simplesmente uma história e sim um enigma deixado pelo ser cuja morte marcou o fim de uma era sobre a qual nunca saberemos algo além disso, a grande pergunta é, como seria possível se não havia ninguém além dele?

Para lhes mostrar tal resposta agora quero que se imagine em um lugar sem luz, o tempo está frio e chuvoso, mesmo não havendo forma de ver algo, você sabe que está lá, te espreitando a cada canto, toda vez que que fecha olhos, até mesmo na hora de dormir. Você simplesmente sabe e se sente impotente pois não há como lutar contra, sente o arrepio congelante subindo pela espinha, não há o que fazer, eles estão chegando silenciosamente e logo dominarão a todos, a resposta para a pergunta que também é o ultimo medo que sentimos antes que nossa vida se acaba, ele te acompanha e te leva para seja lá o que houver após a vida, bateu a porta daquele homem e logo batera na sua também.


Nenhum comentário:

Postar um comentário