20 de dez de 2015

O Homem da Noite | Parte 3 de 3 - Final

Casa de Luana (04:56 AM)

Graças ao calmante Luana dormia como uma pedra, sem pesadelos, sem incomodos, estava tudo realmente muito calmo, tirando as fortes trovoadas naquela madrugada
Uma sombra passa pelo corredor, as trovoadas acordam Luana que logo se senta no sofá olhando fixamente para o corredor, ela olha uma sombra e coça os olhos e a sombra não estava mais lá. Com medo, ela liga a luz e vai até o seu quarto deitar na cama
- Que droga, o que aconteceu?
Luana deita e apaga as luzes mas não conseguia dormir mais, ela pega seu celular e decide ligar para Gabriel, colega da faculdade
- Ga?
- Ah, oi Lu
- Desculpa te ligar essa hora, tá meio tarde mas estou com problemas em casa, não consigo dormir
- Tudo bem, estou a caminho, mas você está bem né?
- Sim estou
- Ok
- Viu, tenta vir rápido
- Vou tentar
- Obrigada
Luana senta na cama e espera Gabriel chegar

Minutos depois...

A campainha toca, Luana vai abrir a porta pra Gabriel
- Oi, vim o mais rápido que pude, você está bem?
- Sim estou
- Legal, no que posso ajudar?
- Fique aqui comigo até eu cair no sono? Deixarei a chave do lado da porta e quando quiser pode ir
- Tudo bem!
Os dois vão até o quarto e deitam na cama, Gabriel pega seu celular e fica olhando para o teto, Luana vê ele olhando fixamente e nem liga, apenas se vira e cai no sono

(06:25 AM)

Já era hora de ir para o trabalho e Luana estava exausta, se não fosse por Gabriel ela ficaria acordada até a hora de sair, a noite foi longa...
Ela olha para o lado e vê que ele já foi embora, ela se levanta um pouco mais disposta e aliviada e vai até a cozinha pois era hora do café, primeiro ela pega o pão e logo o leite e senta na cadeira, ela olha para a mesa e vê a chave exatamente onde havia deixado, aquilo estava estranho.
Luana se levanta, e vai até a janela e o carro de Gabriel ainda estava lá.
- Gabriel?
Ela anda pela casa toda e entra em todos os cômodos mas nenhum sinal do jovem
- Mas que merda, não da pra confiar em ninguém...
Ela vai até o seu quarto e pega seu bastão de beisebol que usou na época do colegial, ela vai até o jardim e se aproxima do carro que estava totalmente vazio como um deserto. A raiva e o medo tomou conta dela que já estava ficando atrasada, ela corre pra casa e vê todos os copos e pratos quebrados no chão e para não aturar mais isso, ela corre pra se trocar e sai pro trabalho com o carro de Gabriel

Escritório (07:00 AM)

- Bom dia 
- Mal dia, péssimo dia...
- O que foi Luana?
- Nem queira saber Julia
Luana caminha até seu lugar e checa seus e-mails para ver a matéria. Mas o que a chama sua atenção é que a matéria foi apagada, vem a memória aquele seu pesadelo, foi o mesmo que estava na matéria onde um assassino matou uma modelo em uma mansão.
Uma nova mensagem
Luana pega seu celular e recebe uma imagem de uma faca e com a legenda ''Venha me pegar, estou na sua casa''
Luana se levanta e pede para ir embora por estar com problemas na barriga, Sérgio a observa e desce também.

Casa de Luana (07:45 AM)

Armada com uma arma que havia acabado de comprar, Luana entra na casa pelos fundos, a energia havia sido cortada o que não a assustava mais agora que estava armada. Ela caminha pelo corredor e sofre um arranhão no braço, ela atire mas não acerta ninguém, ela vê uma luz piscando na sala e quando chega,  vê um ser com roupa preta, a mesma da matéria e do pesadelo, ela deixa as balas caírem e vendo que seria morta, decide correr pro seu quarto, o ser de capuz acerta uma facada na porta e começa a fazer força para abrir, Luana abre a janela e pula, o ser entra no quarto mas não a tempo de pega-la. Ela pula no jardim e corre para a entrada da casa
- Luana? - pergunta Sérgio
- Filho da puta, é você?
Luana dá um tapão na cara de Sérgio que eventualmente cai no chão, ela começa a chutar-lo
- Eu o que? Você tá doida?
- Você está me seguindo!
- Eu fiquei preocupado com você lá no escritório e decidi ficar de segurança
- Eu não preciso da sua ajuda! Eu sei me cuidar, se você vier aqui mais uma vez você irá se ver
Sérgio a encara e joga ela no chão fazendo ela cair de costa, Sérgio corre pra casa de Luana, ela machucada anda mancando mas antes, ela pega o extintor no carro de Gabriel
- Cadê você?
Luana arromba a porta e procura por Sérgio com extrema raiva, ela pega a arma no chão junto com a munição e larga o extintor. Caminhando devagar ela chega no quarto que agora não havia mais ninguém, mas havia na sala, ela houve um barulho e anda devagar e leva um susto ao chegar na sala e ver várias pessoas de preto
- SURPRESA! - Todos gritam
A energia volta e Gabriel, Sérgio, Carlos e todos retiram a máscara mostrando que era uma brincadeira de aniversário
- HAHA, gostou da surpresa Lu? Pensamos em tudo, foi tudo uma pegadinha, até a matéria no seu computador, só amigos como nós para fazer isso
Luana dá risada e olha para todos
- Deixa eu ver essa roupa?
- Legal né? - pergunta Jessica
- Sim, deixa eu provar?
- É claro, é seu aniversário, nada mais justo
Luana da uma leve risada e bota a roupa e em seguida o capuz preto, ela encara todos que ainda riam dela
- É... então, é claro que  nós trouxemos um bolo pra você, veja só
Luana continuava encarando Jessica
- É feito de chocolate com baunilha, foi bem caro até e o... Luana? Por que está assim?
- Nada não, eu até gostei da surpresa, bem criativo, eu tenho uma lá no meu quarto pra vocês, vem ver  você primeiro Jessica
- É claro, adoro surpresas, aliás fui eu que bolei essa
As duas caminham até o quarto e Luana fecha a porta
- Mas então, cadê a surpresa?
Luana encaixa o silenciador na arma e aponta para o peito de Jessica
- Está aqui!
Luana atira com extrema frieza fazendo Jessica cair no chão, ela nem conseguia falar direito devido a dor, o próprio sangue em sua boca a deixava sem ar. ela cospe o sangue e respirava ofegante
- P-Por que? Era tudo uma brincadeira!
- Isso também - responde Luana
Luana puxa uma faca da cintura e começa a desferir inúmeras facadas, mesmo Jessica morta, Luana continuava a encravar a faca na cabeça de Jessica
Luana se levanta e abre a porta
- Sérgio, a Jessica quer te mostrar uma coisa, vem cá
Sérgio empolgado corre pro quarto e Luana fecha a porta, um grito sai de lá e todos da festa corre pro quarto, um tiro saia após o outro, um, dois,três, quatro, cinco e seis
Um som de facadas insanas se ouve da sala, Luana sai do quarto toda ensanguentada e caminha até o carro de Gabriel, ela fecha os vidros e vai embora para longe dali.

Nenhum comentário:

Postar um comentário