28 de set de 2015

Literatura do caverna: Conto por 2

Salve galerinha do Caverna de Ideias, segundona, ressaca do finde, chegar do trampo/escola e dia já acabando e que vocês fazem? Claro vem pra caverna, ler nossos posts o mais animados e cheios de zoeira com sempre !!

Hoje esse post será um pouco diferente daqueles que vocês estão acostumados, pelo menos do Tio aqui. Como alguns de vocês já perceberam, eu a Bella ( na verdade ela ta mais para Elza do Frozen, do que a Bella aquela mosca morta do Crepúsculo) somos os responsa do "Cult"( termo usado para aqueles que gostam de Livros, series e filmes essas paradas ae da cultura pop), essa semana estávamos conversando a respeito desses assuntos, dai pensei no seguinte, eu começaria um conto e ela continuaria, pois bem então vamos lá:

O conto é baseado numa charada, que não lembro onde li, é mais ou menos assim:

"Um grande armazém, há um corpo pendurado por uma corda no pescoço, os pés descalços e queimados na sola não tocam o chão, há uma poça d'agua debaixo do corpo,
que está gelada, as portas estava trancada por dentro e o mais incrível é que  não há como escalar até o teto, para uma eventual queda."

Esse é o enredo da nosso conto, o primeiro capítulo começa assim:

Era apenas uma semana, eu estava no meu novo emprego, finalmente era um detetive como sempre havia sonhado, mas até o momento, nenhum caso investigado, meu chefe dizia que ainda estava em
fase de treinamento. Até numa manhã de sábado, a qual estava muito quente, o ventilador de teto parecia abafar cada vez mais meu quarto ao invés de refrescar.

Eu tentava dormir, faziam poucas horas que tinha chegado em casa. Quando de repente escuto, zummm na escrivaninha do meu quarto, meu celular vibrava, levantei da casa sem abrir os olhos, em direção ao móvel que fica cerca de um metro e meio de distancia. Meus olhos já estavam abertos e pude enxergar a tela do celular, meio embaçada, mas pude distinguir pela foto do contato, quem me ligava era a secretária da delegacia, a Letícia,  um moça de cabelos lisos num tom escuro, batem na altura dos ombros, usa óculos com lentes grandes os quais não aparentam ter muitos graus, tem cerca de um metro e sessenta de altura.

- Bom dia detetive Vinicius - dizia ela com voz animada.
-( com voz sonolenta) Bom dia Letícia.

-Desculpe ligar para o sr. ainda mais hoje, sei que não é seu turno, mas é uma emergência!

-Sem problemas pode falar - Ainda com voz de sono, já estava pensando ser mais uma daquelas burocracias do departamento de investigações, aquela papelada de sempre, que coisa chata, eu pensava.

-O Dr. Garcia foi a capital, para uma reunião com o secretario de segurança as pressas. Foi ele quem me pediu para ligar para o senhor, o pessoal da D.I.C. ligou uns instantes atrás, disseram que precisam de um investigador, já adianto é algo muito estranho.

Meu olhos abriram-se com a animação e empolgação, finalmente eu iria ter meu primeiro caso para investigar, só não tinha ideia que mudaria minha vida de uma vez por todas.




Gostaram? o próximo capitulo segunda que vem, acompanhem.

curtam nossa página no face : Caverna de Ideias

Loki, o Deus da zoeira.





Nenhum comentário:

Postar um comentário